Chevrolet Monza – Ele nunca vai perder o seu reinado !

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Robustez mecânica, conforto e bom desempenho num sedã recheado de equipamentos.

O Chevrolet Monza foi fabricado entre os anos  1982 e 1996. Foi  eleito por uma renomada revista automobilística como carro do ano em 1983, 1987 e 1988. Talvez por este motivo, ele tenha se tornado objeto de desejo nas décadas de 80 e 90, e nos anos de 1984, 1985 e 1986 foi o veículo mais vendido no Brasil.

Conforto,  robustez mecânica, preço baixo, facilidade de manutenção são os principais fatores que fazem do Monza ainda hoje, uma boa opção de compra para os apaixonados por ele, ou simplesmente para quem faz questão de espaço e bom desempenho por um preço acessível. A robustez mecânica é o principal motivo de compra dos atuais proprietários, que defendem seus carros, dizendo que são muito resistentes e raramente quebram.http://dicascarrosusados.com/wp-content/uploads/2013/06/chevrolet-monza-carro-usado-que-pode-ser-muito-bom.

Não é difícil encontrar Monza à venda no mercado de carros usados com direção hidráulica, ar condicionado, vidros, travas, antena e retrovisores elétricos, volante com ajuste de altura, isso só para citar os principais equipamentos.

Chevrolet Monza – Desempenho e conforto

chevrolet-monza-carro-usado-interior-impecavel

O carro é confortável, estável e gostoso de dirigir, com assistência hidráulica na direção e um bom  câmbio manual de 5 marchas a condução se faz de forma agradável.

Sempre bem equipado, no seu último ano de produção ( 1996 ), foi empobrecido ao perder a opção de câmbio automático e freio a disco nas rodas traseiras, ao meu ver os principais opcionais desta versão.

Lançado em 1982, ao longo da sua vida, o Monza teve várias opções de motorização 1.6, 1.8 e 2.0, apenas as duas últimas foram mais tarde equipadas com injeção eletrônica.  Sua carroceria na configuração hatchback durou até 1988 e sedã duas portas até 1995 já o sedã  quatro portas  permaneceu até 1996 quando o veículo finalmente foi descontinuado.

chevrolet-monza-carro-usado-carro-muito-conservado

Comprando o Monza

O Monza teve muitas séries especiais como a Barcelona, Club, 650, Hi-tech, está última de 1993/1994 incluía freio abs e painel digital de série. No entanto me parece mais prudente comprar as últimas versões deste carro, principalmente porque a partir de 1991 ele recebeu sua primeira e última reestilização mais significativa, com isso ganha-se em design, e menor desvalorização na hora da revenda, não que os veículos de anos anteriores não disponham dos mesmos benefícios dos últimos produzidos.

chevrolet-monza-carro-usado-modelo-barcelona

Evite também comprar as versões de duas portas por serem mais difíceis na hora da revenda. Prefira as versões com ar condicionado, pois além de mais confortável, este equipamento faz com que o carro seja mais desejado na hora em que você decida passá-lo para a frente. Lembre-se que quanto melhor o estado de conservação maior será o valor tanto na hora da compra quanto na hora de se despedir do seu carro.

Com um motor transversal de 4 cilindros em linha, possui 110 cavalos de potência, suficientes para impulsionar os 1.125 kg do veículo com certa dignidade. O consumo é considerado elevado na cidade com marcas de 7 km/l na cidade e aceitável na estrada com 12.8 km/l. (números correspondentes a versão GLS ano 1995)

chevrolet-monza-carro-usado-paniel

Dentre as principais desvantagens podemos citar:

  • Alto consumo na cidade;

  • Forração do painel das portas traseiras descolam na maioria dos modelos;

  • Encosto do banco do motorista gasta e rasga com o uso.

chevrolet-monza-carro-usado-os-principais-modelos

Conclusão

Finalmente, concluímos que as qualidades são maiores do que as desvantagens, por isso o Monza pode ser uma boa compra, se estiver em excelente estado