Antes de comprar um carro usado, fazer um test drive é obrigatório, descubra por quê!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Uma das principais dicas para comprar um carro usado, certamente é o test drive, então fazê-lo  é obrigatório. Digo isso, pois através do teste você consegue avaliar se o carro é confortável, se atende suas expectativas e o mais importante de tudo, é dirigindo que terás noção de como está o funcionamento da suspensão, freio, embreagem, enfim do estado geral da mecânica do veículo pretendido. 

Normalmente o vendedor lhe acompanhará durante o percurso do teste, e acredite, ele fará de tudo para ressaltar as qualidades e assim fazer você desfocar dos defeitos que o carro possa apresentar, por isso é importante seguir as dicas para comprar um carro usado, que você aprenderá a seguir.

dicas-para-fazer-um-bom-test-drive

Test Drive sempre é muito curto, mas …

Dificilmente o vendedor irá alertar sobre algum problema do carro que você pretende adquirir, daí a importância de estar atento e usar as dicas para comprar um carro usado deste artigo e obter maior sucesso na compra do seu próximo carro.

O ruim é que no teste oferecido pelas lojas você não terá a oportunidade de “sentir” verdadeiramente o carro. O ideal para isso seria dirigir em rodovias, mas como isso não é muito comum, eu aconselho você pedir emprestado a um parente ou conhecido que possua um modelo igual ao de seu interesse.

Assim você poderá rodar bastante e saberá qual é o verdadeiro comportamento do veículo. Isso ajudará você, a saber, se ele é o carro que realmente procura. Esta é mais uma das importantes dicas para comprar um carro usado.

Alugar um veículo similar ao que pretende comprar também é uma boa solução para conhecer melhor o desempenho e conforto do seu próximo carro.

Embora o test drive oferecido pelas lojas seja curto, acho suficiente para perceber se o carro tem defeitos relacionados à parte mecânica, mas não se esqueça de usá-lo sem dó, assim terá noção da real condição do carro.

Trocar ou comprar um carro por mais que ele seja de segunda mão, é um evento importante, especial, e até muitas vezes inesquecível, ainda mais se você assim como eu, for completamente louco por carros, para tanto é preciso ter sangue frio e se utilizar das dicas para comprar um carro usado para não se arrepender depois.

Se você valoriza seu dinheiro, deve ter em mente as dicas para comprar um carro usado que você está aprendendo aqui e saber que comprar um automóvel, é uma coisa séria e cara.

Cuidado com a empolgação

Portanto deixe de lado a empolgação e emoção, e use a razão para fechar negócio, pois sabemos que não é fácil investir aquela grana toda num carro ruim. Pior ainda, é ter que pagar mensalmente por um carro que não te faz feliz, porque passa mais tempo na oficina do que na sua garagem, por exemplo.

Eu mesmo no passado, me deixei levar pela empolgação na compra de um carro, e depois me arrependi profundamente, essa é uma das razões que me levaram a escrever algumas dicas para comprar um carro usado, visando fazer de você leitor, um alguém mais preparado quando o assunto for compra de um carro usado.

Quando eu fui dirigir o carro em questão, percebi que a suspensão dianteira batia ao passar em pisos irregulares, mas como estava tão empolgado com o meu futuro carro ignorei esse sinal.

Na época o vendedor me apresentou as notas fiscais das manutenções realizadas no carro como troca de velas, correia dentada, filtro e óleo. Os pneus estavam em péssimas condições e como eu reclamei, eles foram substituídos por novos.

Por tudo isso, e por eu estar muito empolgado resolvi comprar o carro, mesmo sabendo do barulho na suspensão que o vendedor disse não ter ouvido, lógico ele viu que eu compraria o carro, por isso nem deu atenção.

Demonstrar que está apaixonado pelo carro pode ser ruim para o negócio, pois o vendedor percebendo sua emoção em relação ao carro sabe que você vai comprar o carro de qualquer maneira. Dessa forma ele aproveita para lucrar o máximo possível em cima dessa venda. E adivinha quem tem a perder com isso?

Como resultado da minha ação, depois de alguns meses de uso, precisei trocar molas, amortecedores, balanças, buchas, bieletas entre outras peças. Ou seja, tive que refazer a suspensão dianteira inteira e para isso gastei uma fortuna com mão de obra e com peças caríssimas (Peugeot) para resolver o tal ruído que eu havia ignorado no teste drive.

Para não cometer o mesmo erro absurdo que eu relatei, quando você for comprar o seu futuro carro, siga atentamente as dicas para comprar um carro usado no teste de rua e seja feliz:

  • Logo ao entrar no carro, antes mesmo de ligar o motor, tente encontrar uma posição confortável para dirigir;

  • Avalie se o tamanho dos retrovisores externos tem boa área e lhe transmite segurança. Por exemplo, os retrovisores do GM Vectra de segunda geração são muito pequenos e dificultam o dia a dia no trânsito;

  • Veja se o número de porta-treco atende suas necessidades;

  • Assegure-se que os equipamentos do carro atendem o suas exigências mínimas;

  • Aproveite que ainda não está dirigindo e verifique se o interior está bem conservado, procure por manchas, desgastes excessivos ou rasgos na forração dos bancos e painéis de porta bem como por quaisquer outros defeitos que o desagrade;

  • Antes de sair com o carro teste o rádio e também todos os outros equipamentos elétricos;

  • Como falei em rádio, lembre-se de desliga-lo durante o teste na rua, pois ele pode atrapalhar sua audição e deixar passar despercebidos alguns barulhinhos, que são sinais de que algo está ruim;

  • Dirigindo, preste atenção nos sinais que o carro dá, como ruídos na suspensão e freios, que podem indicar desgastes e consequentemente precisam ser substituídos;

  • Não se esqueça de testar a suspensão passando em buracos ou lombadas;

  • Perceba se o desempenho do carro é satisfatório, se você pretende pegar muito a estrada, por exemplo, prefira um carro que tenha um motor com cilindrada superior a 1000 cm³;

  • Faça curvas com o volante totalmente esterçado para ambos os lados, se ouvir barulhos vindo das rodas motrizes, pode ser que a junta homocinética, (responsável por transmitir de forma constante o torque do motor às rodas) esteja comprometida, denunciando que sua troca se faz necessária;

  • Reflita se você precisa de espaço no porta-malas, se a resposta for sim, um hatch não será uma boa opção;

  • Monte em casa um check list e veja se o carro testado atende mais que 80% dos seus requisitos, caso contrário procure outro modelo.

Agora, se você não entende nada sobre carros ou acabou de aprender a dirigir, e mesmo depois de ler todas as dicas para comprar um carro usado, ainda está inseguro para avaliar esses possíveis defeitos, chame um amigo mais experiente para testar o carro junto contigo.

Obviamente que eu poderia citar muitas outras dicas para comprar um carro usado através do test drive, mas como o texto ficaria muito extenso, resolvi deixar para continuar numa outra oportunidade.

Fazer o test drive vale também para os novos, e considero muito importante também. Claro que a ação de atentar-se a problemas mecânicos nesse caso não se aplica, pois teoricamente, os veículos novos não devem apresentar defeitos, e muito provavelmente você não irá testar o carro que irá comprar.

Com muita atenção é possível identificar possíveis defeitos que certamente lhe incomodarão no futuro. Controle sua empolgação, carro é um bem durável e caro, é necessário fazer uma compra racional, para não se arrepender.

E se houver qualquer coisa que lhe deixe desconfortável em relação ao comportamento do carro, lembre-se que existem muitas outras lojas que você poderá visitar, e inúmeros carros que você poderá testar até achar aquele que mais o agrade tanto em estado de conservação quanto em preço.

Com isso em mente, depois de pesquisar sobre o carro que lhe interessa, e agora com as dicas para comprar um carro usado através do teste de rua em sua memória, vá atrás do carro usado de seu interesse e teste quantos forem necessários, até achar o carrão dos seus sonhos em perfeito estado de conservação.

Boa sorte e boa compra!