Fiat Stilo Sporting Dualogic – Visual esportivo e aposentadoria definitiva do pé esquerdo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Há algum tempo atrás reencontrei um amigo, o papo foi muito legal e claro que entre outras coisas falamos no assunto que mais gosto: carro. Ele me contou que havia saído de um carro 0 km 1.0 e trocado por um Fiat Stilo Sporting Dualogic, e disse que não se arrependeu nem um pouco. O post de hoje não poderia ser outro, será sobre o Stilo.

 Assim como o Ricardo, muitas pessoas pensam em trocar seu carro 1.0 que muitas vezes foi comprado novo, por um veículo seminovo com uma motorização maior, ou por um modelo mais luxuoso.

Porém, existe muito preconceito em relação ao carro usado, e por muitas vezes acabamos novamente optando em adquirir um modelo 0 km por receio de que o carro usado quebre e por medo do valor da manutenção.

Mas não é bem assim, pois se o carro escolhido estiver em excelente estado de conservação e com as revisões em dia, ele certamente poderá ser uma boa compra.

O Fiat Stilo nunca foi um dos carros mais vendidos do país, mas ele tem muitas qualidades e a versão Sporting tem um visual que agrada muito, os destaques são as rodas com um lindo desenho, o enorme teto solar (sky window) e os repetidores de pisca nos retrovisores.

Fiat Stilo Sporting Dualogic vermelho

Resolvi opinar sobre o Stilo Dualogic, pois muitos leitores estão querendo um carro que não precise trocar de marchas que tenha um preço atraente. Além disso, o câmbio robotizado não rouba potência do carro e teoricamente gasta menos combustível que um carro com conversor de torque, embora o Stilo não seja um carro dos mais econômicos, mas comentarei sobre isso logo mais.

Se você ainda não sabe a diferença entre os câmbios automatizados e automáticos recomendo fortemente a leitura do post: Automático X Automatizado.

No Brasil o primeiro carro equipado com câmbio manual robotizado foi o Meriva Easytronic, expressão que foi popularmente rebatizada para easytranco, referindo-se as trocas ásperas. A condução necessita de certo jeitinho para que os trancos entre as trocas de marchas não incomodem muito.

O segundo carro brasileiro com esse tipo de câmbio foi o Fiat Stilo, de lá pra cá muitos outros veículo receberam essa caixa de câmbio, e felizmente a Fiat conseguiu melhorar significativamente o funcionamento dessa transmissão.

O melhor de tudo é que a transmissão automatizada é bem mais barata que uma automática e no caso da moderna transmissão automatizada da Ford batizada de Powershift, o funcionamento é muito bom e não deixa nada a desejar quando comparamos com alguns câmbios automáticos convencionais.

fiat-stilo-sporting-duallogic - amarelo

O câmbio utilizado no Fiat Stilo faz as trocas bem melhores que as da Chevrolet Meriva, mas quando pisamos mais forte no acelerador dirigindo esportivamente os trancos incomodam um pouco. Para que as passagens sejam mais suaves, deve-se tirar o pé do acelerador nas trocas, esse é o jeitinho que mencionei acima.

Certa vez num test drive que fiz com uma Spacefox Imotion o vendedor me auxiliou a conduzir o veículo dessa maneira, sinceramente não acho isso muito agradável, mas é uma saída para diminuir os trancos.

Uma pena que na primeira versão do câmbio Dualogic a função creeping não existisse, acho ruim você tirar o pé do freio e o carro não se movimentar, mas tudo bem, o importante é descansar o pé esquerdo.

Tive a oportunidade de dirigir um Fiat Stilo 2008 automatizado e o recomendo, com ressalvas.

Primeiro vamos ao preço, segundo a tabela Fipe um modelo 2008 vale  R$ 33 mil, considero que um modelo muito bem conservado gire em torno dos R$ 36 mil. Você deve estar se perguntando: E vale tudo isso?

Se você gosta do carro vale sim, mas ele precisa ser um carro muito bom. A má notícia é que a cada dia que passa fica mais difícil achar um Fiat Stilo em excelente estado, mas se você não tem pressa saiba que ainda é possível encontrar uma raridade.

O motor é o bom 1.8 de origem GM que gera humildes 112 cavalos com gasolina, somam-se mais dois cavalos quando abastecido com álcool, porém o bom torque permite desempenho razoável.

Decepcionante mesmo foram as médias de consumo alcançadas:

  • Etanol: 5,3 km/l.
  • Gasolina: 7,8 km/l.

Gasta demais, ainda mais se levarmos em consideração que o carro é equipado com um câmbio manual de trocas automáticas. 

Internamente o que chama atenção são os bons materiais empregados, os arremates também são corretos e a vida a bordo é agradável. O que não dá pra entender é porque a Fiat economizou em segurança deixando de oferecer o cinto de segurança de três pontos para o terceiro passageiro do banco traseiro, pelo menos o sistema de freios abs e o air bag estão presentes.

Andando o Stilo se comporta muito bem, a direção é precisa, a estabilidade é muito boa, e os freios tem ótima eficiência, somando tudo isso o resultado é um carro bem gostoso de dirigir.

Enfim, o Fiat Stilo 2008 agrada e pode ser uma boa opção para você que curte o visual e quer evitar o cansaço causado pelas exaustivas trocas de marcha no caótico trânsito das grandes cidades. Mas quero alertar que o câmbio Dualogic infelizmente não entrega suavidade nas trocas.

Você deve estar se perguntando se eu compraria um Stilo Sporting Dualogic e a minha resposta é a seguinte:

Sim.

Gosto muito do visual do carro e adoro câmbios que trocam de marcha automaticamente.

Porém eu só compraria uma raridade, ou seja, um carro em excelente estado de conservação e com todas as revisões em dia, caso contrário eu não arriscaria.

Boa sorte, boa compra e bom fim de semana.