Problemas na embreagem? Tudo que você precisa saber para identificar

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Será que é fácil identificar problemas na embreagem de um carro? Então deixe-me contar uma história.

Segunda feira 19 de agosto de 2013, segui ao encontro do meu novo brinquedinho. Logo às 9 horas da manhã encontrei um simpático vendedor que já havia me atendido anteriormente, como o carro que eu queria ver não estava naquela loja, saímos de lá a bordo de um Renault Symbol com destino a concessionária onde estava o automóvel que eu estava procurando.

problemas na embreagem como descobrir

Chegando lá, me decepcionei com o estado de conservação do Fiat Siena que eu tinha interesse, na verdade o problema estava na pintura com arranhados bem fortes no capô, tampa do porta-malas e no para-lama traseiro direito, além disso, a pintura da tampa do porta-malas já não era mais original.

Como o carro teria que ser repintado para esconder esses arranhões, automaticamente descartei a possibilidade de compra. Sempre parto do princípio que carro bom tem que me cativar no primeiro olhar, se eu tiver que reparar a funilaria, não me serve, comentei sobre a técnica que uso para não apaixonar por qualquer lata velha, num outro post que você pode conferir clicando aqui.

Já quase na hora de ir embora, avistei um belo Ford Focus 1.6 GLX 2008, que me chamou a atenção de longe.

E quando iniciei a inspeção, realmente percebi que o carro era muito bom, com a pintura, vidros, lanternas e faróis originais. Outro detalhe que me agradou foi a baixa quilometragem, apenas 47.000 quilômetros originais, conforme comprovei analisando o manual que indicava a última revisão feita no início desse ano, quando o hodômetro marcava 46.000 km.

O carro realmente além de muito bem conservado estava bem completo, com direito a vidro elétrico nas quatro portas com sistema de um toque para todos. O carro me remeteu aos bons tempos do Del rey, pois é um carro com um acabamento muito caprichado, destaque para o para-barro traseiro revestido com uma espécie de carpete, feitos para diminuir os ruídos internos ao rodar.

Esteticamente o carro só precisaria de um polimento para diminuir os risquinhos da pintura, só quem tem carro preto ou já teve sabe do que eu estou falando. Fora os risquinhos tinha um amassadinho aqui e outro alí, nada que um bom martelinho de ouro não resolvesse.

Falando em segurança, os pneus ainda originais de fábrica e precisam ser trocados, e nada mais.

O valor pedido pelo carro me assustou R$ 26.900,00, mas logo no início da negociação já consegui baixa-lo para R$ 24.500,00, o que considerei um bom “desconto”, tudo estava indo muito bem, até que chegou a hora de colocar o carro pra andar.

Ajustei os confortáveis bancos, a direção com regulagens de altura e profundidade, e finalmente acertei a posição dos retrovisores elétricos.

Problemas na embreagem, você pode descobrir de cara

Liguei o carro, pisei na embreagem e aí tive uma grande decepção, ela estava muito pesada e  era preciso soltar praticamente todo o pé para que o carro entrasse em movimento. Dirigi cerca de 12 km, distância suficiente para sentir bem o carro e me decidir em comprar ou não.

Chegando à concessionária o vendedor foi falar com o gerente dele sobre minha reclamação. Minutos depois ele voltou com uma proposta segundo ele irrecusável: Embreagem nova e desconto de mais R$ 1.000,00, ou seja, o carro ficaria por R$ 23.500,00 que é o valor indicado pela tabela Fipe.

Pedi ao vendedor um tempo para eu ir para casa fazer cálculos, e no dia seguinte ele me ligou baixando ainda mais o valor do carro (vantagem de não comprar por impulso no mesmo dia).

A parti daí a negociação começou melhorar, pois até então todos esses descontos oferecidos não passaram de enganação, já que eles estavam vendendo o carro por um preço muito acima do que ele realmente vale, por isso é importante saber quanto o carro vale antes de concretizar o negócio.

Sei que o carro tinha vários pontos fortes que dificilmente encontramos em carro usados, esse Focus 2008 estava com todas as revisões em dia, coisa rara de se ver por aí, pois o normal é que as revisões sejam feitas em concessionária no máximo até o término da garantia. Mesmo que o carro tenha muitas qualidades, me recuso pagar mais do que o valor da tabela Fipe,  salvo raros casos, como encontrar um carro a venda com baixíssima quilometragem e sem detalhes, nesse caso pode compensar pagar um pouco a mais.

A semana passou e hoje sexta feira, eu ainda não havia decidido se compraria ou não o luxuoso Ford Focus. Até que coincidentemente enquanto eu estava escrevendo esse parágrafo o celular tocou e meu sonho acabou.

Do outro lado do telefone, era o vendedor me informando que haviam vendido meu carrinho ontem no final da tarde, então agora está decidido, não comprarei o Focus, e pelo menos por enquanto não vou mais comprar nenhum outro carro.

Dica: se o carro for muito bom, seja rápido na decisão, caso contrário é possível que você o perca, mas ser rápido não quer dizer abrir mão de todas as ações obrigatórias para comprar com mais segurança que você já aprendeu aqui no dicascarrosusados.com, e se você assim como eu, perder uma boa oportunidade, procure outro carro, afinal de contas existem inúmeros carros a venda, e com bastante procura, é possível encontrar um com as mesmas ou até maiores qualidades em relação às encontradas no carro que você perdeu, pode demorar, mais com calma você acaba encontrando.

Se você até agora ainda não fechou esse post, deve estar se perguntando quando vou começar apresentar os principais sintomas de uma embreagem ruim, não é mesmo? Então, listarei agora as mais comuns:

 Problemas na embreagem! Dicas para descobrir

  • Barulhos nas trocas de marchas. (arranhadas)

  • Vibração no pedal em arrancadas.

  • Acionamento muito pesado.

  • Embreagem patinando. (quando você acelera o motor e ele demora em desenvolver)

  • Embreagem alta. (quando você tem que soltar quase todo o pedal para colocar o automóvel em movimento)

Existem muitos outros fatores que indicam a necessidade de trocar o kit de embreagem do seu carro, mas os citados acima são os mais frequentes. Bom saber que nem sempre os sintomas que citei são indícios para a troca, muitas vezes esses problemas podem ser solucionados apenas com uma boa regulagem do sistema.

Muitas pessoas desconhecem como é o funcionamento da embreagem, como o assunto é bastante extenso, prefiro abordá-lo futuramente em outro post exclusivo.

Com o passar dos anos, é normal que a embreagem fique mais pesada, mas se o peso estiver associado ao fato de soltar bastante o pé para que o carro inicie o movimento é provável que ela tenha que ser substituída.

Existem simples práticas que contribuem para que o sistema de embreagem tenha sua vida útil encurtada, por exemplo, usá-la como apoio para os pés, essa prática sabe-se lá porque é muito utilizada. As pessoas dirigem como se o pedal da embreagem fosse um descansa pé. Deixar o pé apoiado na embreagem com o veículo em movimento é um péssimo hábito, pois causa superaquecimento ao sistema, o que consequentemente diminui o tempo de vida útil da embreagem.

Segurar o carro em rampas apenas com a embreagem também é um mau hábito, use os freios de serviço nessa situação, ou se achar necessário utilize o freio de estacionamento, nunca a embreagem.

Não pisar até o final do curso do pedal antes de trocar de marchas ou mesmo para arrancar, também pode comprometer o bom funcionamento do sistema de embreagem.

E a última dica importante e muito normal de se ver por aí é: nas paradas em semáforo o motorista deixa a primeira marcha engatada e com o pé “enterrado” na embreagem, sendo que o ideal seria deixar o carro desengatado e com o pé fora do pedal da embreagem enquanto se espera o momento da partida.

Agora você já sabe como identificar problemas na embreagem, e o mais importante é que você aprendeu como proceder para não danificar o sistema, ações simples que se realizadas por você demonstram seu cuidado e carinho com seu grande amigo, o carro.

Lembre-se que quanto maior for o cuidado com seu carro, menor serão as chances de você gastar seu dinheiro realizando manutenções corretivas e assim, seu bolso agradecerá.

Boa sorte e boa compra!

  • Erick Andresson

    Boas dicas, porém vale ressaltar que os carros que tem embreagem hidráulica, não pode observar 90% dessas dicas, por exemplo meu PolO, por ser embreagem hidráulica, a única coisa que senti nele para saber que a embreagem estava no fim, foi o fator “patinação”, porque o peso, o curso do pedal, vibração do pedal, e o barulho nas trocas de marcha, simplesmente não existiram, tanto é que eu comprei o carro com a embreagem já condenada, porém o único sintoma só foi aparecer aos 3 meses e meio. kkkkk

    Mas depois de trocado a embreagem por uma original e mecânico de confiança, a única coisa que mudou foi a “patinação” que parou.

    Ah, uma dica é, o meu PolO, com a embreagem velha, no fim, apresentou um “ronco” quando acelerava parado ou andando, dando a impressão de que era o escapamento abrindo. Quando troquei a embreagem, o ronco parou.