Cruze 2016: Para esconder a idade, algumas pessoas passam por pequenas plásticas de vez em quando, não é mesmo?

Cruze 2016: pequenas mudanças para sobreviver.

Foi isso que a Chevrolet fez no ano de 2015 com o Cruze 2016, para ele aguentar firme mais uns meses até sua reestilização completa.

Se você está de olho nesse modelo, sugiro ler esse post até o final, para que você conheça melhor o seu futuro novo carro.

Prefere o Corolla 2015? Veja o que dissemos!

GUIA RÁPIDO: Como Comprar Seu Carro

A Surpreendente Verdade Que Nunca Contaram a Você Sobre o Mercado de Carros

​Preencha seus dados para receber o LINK do guia em PDF.

Cruze 2016: Mudanças

Na verdade, as mudanças foram tão pequenas em relação ao modelo anterior, que se você não for extremamente detalhista, provavelmente nem perceberá as alterações entre um e outro.

Duvida? Para você ter ideia, externamente, a mudança foi realizada apenas na dianteira do veículo.

O Cruze 2016, ganhou luzes diurnas, molduras cromadas nos faróis de neblina, para-choque redesenhado e frisos cromados na grade do motor.

Aliás, peço que me desculpem, quase esqueci das novas rodas de alumínio com 17 polegadas. Mas, externamente, realmente as modificações ficam por aí.

Mesmo assim, até que os designers da Chevrolet, conseguiram dar um ar diferente ao Cruze 2016 com tão poucas alterações.

Mas, como naquela época ele já estava no mercado a mais de 3 anos, esperávamos mais desse facelift, mesmo sabendo que o modelo remodelado já estava saindo do forno.

Pelo menos, ao mudar pouco o sedã manteve as coisas boas, como o moderno desenho do teto, que dá ao Cruze 2016 um estilo de cupê.

Esse detalhe dá um aspecto mais esportivo ao modelo, sem tirar a sobriedade que um sedã dessa categoria deve ter.

Leia também ...   Venda de carros usados: veja como repassar o seu usado sem perder muito dinheiro

Você ainda lembra do Chevrolet Sonic?

Interior do Cruze 2016

Já que mencionei em manter as soluções antigas, digo que o interior, também, é praticamente o mesmo.

Cruze 2016: Interior quase inalterado.

Apenas novos detalhes no painel e no revestimento dos bancos, que agora possui couro em duas tonalidades. Essas leves mudanças deixaram o interior levemente pouco mais sofisticado. Aliás, esses detalhes só foram modificados na versão LTZ, que é a topo de linha do Cruze 2016.

É que a tonalidade do couro: preto/marrom não ressaltam tanta diferença e por isso fazem que muitos nem percebam essa alteração.

O espaço interno continua bom.

Cruze 2016: bom espaço interno, porém o passageiro do banco central não conta com os mesmo conforto entregue aos demais passageiros.

O único detalhe é que o passageiro central do banco traseiro sofrerá mais que os outros no Cruze 2016.

Isso se deve ao fato, dele ser mais firme e esse aspecto transfere toda irregularidade do piso ao ocupante do centro do banco.

Entre as poucas novidades, existe uma interessante que eu não podia deixar passar em branco: a possibilidade de acionar o motor a distância, através de um botão no comando da chave de ignição.

Porém, continua deixando de fora uma função importante: o auxiliar de partida em subidas.

O mal dos câmbios automáticos da Chevrolet é esse, ele não sustenta o carro parado até que você arranque. Isso até mesmo nas saídas de rampas menos íngremes, o que acaba assustando.

Outros modelos com câmbio automático, mesmo sem a função auxiliar de partida em rampas, segura o carro na subida.

Contudo, infelizmente, isso não acontece no Cruze 2016 e nem em outros modelos da linha que utilizam a mesma transmissão.

Um carro do nível do Cruze 2016, devia vir de fábrica com esse sistema auxiliar obrigatoriamente, vocês não acham?

Quer mais dicas para comprar um excelente carro usado?

E a mecânica do Cruze 2016, mudou?

Na parte mecânica, as alterações foram ainda menores.

Leia também ...   C3: Quer saber se o hatch compacto premium da Citroen é econômico?

O motor continua o mesmo 1.8 batizado como Ecotec Flex que gera 140 cavalos e 17,8 kgfm quando abastecido com gasolina e 144 cavalos com 18,9 kgfm de torque ao ser abastecido com etanol.

Cruze 2016: Na mecânica as diferenças foram ainda menores.

A única diferença, foi a recalibração da central eletrônica e do acelerador, que permitiram uma resposta mais progressiva melhorando o desempenho do Cruze 2016.

E quando dirigimos o carro é perceptível que as acelerações e retomadas estão melhores.

Embora seja silencioso, quando o propulsor atinge 4 mil rpm, ele faz bastante barulho e chega a incomodar os que gostam de silêncio completo.

O câmbio automático de 6 velocidades que é item de série na versão LTZ, também recebeu melhorias.

Carros automáticos usados: Será que podemos confiar?

Segundo a Chevrolet o câmbio do Cruze 2016 está com trocas e reduções mais rápidas. Além disso, por conta dessas mudanças eles afirmaram que o consumo melhorou.

Talvez a melhora seja tão pequena, que nem possamos perceber.  Num carro tão moderno como o cruze, esperávamos que o consumo fosse realmente melhorado, mas na prática lamentavelmente não percebemos isso.

Consumo do Cruze 2016

Falando em consumo, num trecho misto de cidade e estrada, ele alcançou as seguintes marcas:

Gasolina: 8,9 km/l
Etanol: 6,3 km/l

Deseja um carro mais econômico? Conheça tudo sobre o consumo do Prius.

Dirigindo o Cruze 2016

Com a posição ao volante agradável, boa estabilidade e eficiente freios a disco na quatro rodas com ABS, o Cruze 2016 é gostoso de dirigir.

Só precisava ser mais macio para melhorar o conforto a bordo.

Cruze 2016: Ainda é um bom negócio?

Mas, fique atento, se você está procurando um sedã médio, o mercado de usados e seminovos está cheio de opções para você escolher.

Por isso, antes de se decidir, ande também com os concorrentes do Cruze 2016 pois, tem alguns que estão na mesma faixa de preço e oferecem mais, até mesmo motor mais potente.

Leia também ...   Carros automáticos usados: será que podemos confiar?

Vai financiar seu carro por CDC? Aprenda como não perder dinheiro na hora de fechar seu financiamento.

Finalmente

O mercado está cheio de modelos interessantes.

Lembre que pesquisar é muito importante para darmos mais valor ao nosso dinheiro.

Falando em dinheiro, se você quer pagar menos num sedã, aconselho fortemente ler nosso artigo sobre o Novo Cobalt 2017.

Com o mesmo valor que se paga num cruze, podemos comprar carros mais potentes, econômicos e completos que o sedã da Chevrolet.

Por isso, não compre por impulso.

E se você gosta muito do Cruze, mas, prefere um carro hatch, seria conveniente conhecer o Cruze Sport 6 que mantém os mesmos predicados do Cruze, porém, conta com um estilo mais jovem.

Cruze Sport6: outra opção para quem não gosta de sedã.

O Cruze 2016 é sim um bom carro, mas, seu consumo é alto em comparação a outros modelos que concorrem com ele.

Embora a nova geração já esteja entre nós, o modelo anterior pode ainda ser uma boa opção.

Visto que, mesmo estando defasado, equipado com motor que tem fama de beberrão e com desempenho apenas correto, ele ainda é muito bom de revenda.

Seu valor foi depreciado com a chegada da nova geração, porém, nem por isso ele pode ser considerado um carro barato.

Quer saber quais itens desvalorizam seu carro na revenda?

Quando for comprar, opte por modelos que ainda possuam garantia de fábrica, pois, assim você poderá ainda usufruir desse benefício e rodar sem grandes preocupações.

Vale a pena comprar carros usados?

Não esqueça de avaliar muito bem ou até mesmo pedir ajuda de um profissional, para verificar as reais condições do carro, antes de fechar negócio.

Afinal, se prevenir antes de entrar numa fria, ainda é a melhor coisa a se fazer!

Leia Também


Ronaldo Mendes
Ronaldo Mendes

“Ler sobre carros sempre foi minha paixão, eu sempre ajudei amigos e familiares a decidir a compra de um carro, agora estou conseguindo fazer isso com muito mais pessoas, é um grande prazer”.